5 insights que tive no 7º Congresso da Abrates

5 INSIGHTSQUE TIVEDURANTE O CONGRESSO - tradutor iniciante

Esse ano não vou fazer post resumindo as palestras, como fiz no ano passado, por dois motivos: esse ano fui para o Congresso com um olhar diferente. Mais do que aprender nas palestras, eu queria contatos! Quanto mais gente eu pudesse conhecer, melhor. O outro motivo é o fato de não querer que ninguém se acomode.

Pelo fato de ir ao Congresso com uma nova visão, durante evento eu tive vários insights e trouxe 5 deles para compartilhar com vocês.

Não espere ficar perfeito. Vai, e faça o seu melhor! Não sei vocês, mas eu sou uma pessoa muito perfeccionista. Por um lado isso é bom, porque nós temos que fazer o nosso melhor, mas se você perceber que está chegando aos extremos, tome cuidado! O perfeccionismo não pode te travar. Lembre-se, feito é melhor que perfeito!

Menos desculpa e mais ação. Sucesso é para quem levanta e faz! Esse insight eu tive no domingo de manhã, quando estava saindo de casa, último dia do Congresso. Na noite de sábado para domingo choveu muito aqui no Rio de Janeiro, e eu confesso que bateu aquela vontade de continuar na minha cama, embaixo do edredom e dormir até tarde. Por que eu não fiz isso? Porque eu quero crescer na vida. Tenho sede de conhecimento, e isso é maior do que a minha melhor desculpa. Muita gente (não apenas tradutores) reclama que a vida está ruim, que a situação está difícil, mas ao mesmo tempo não faz nada para mudar. Cada um tem a sua prioridade. Uns preferem sair no domingo às 7h da manhã para fazer um curso, participar de um congresso, ou mesmo trabalhar normalmente, e outros preferem dormir, fazer um churrasco ou ficar sentado no bar tomando uma “gelada”. Depois só não vale reclamar que não tem trabalho ou não tem dinheiro, hein?!

A vergonha e a timidez não abrem portas. Crie técnicas para vencê-las e mostrar o seu potencial ao mundo! Assim como o perfeccionismo, a vergonha também impede que você tenha sucesso. E eu posso garantir isso, afinal eu sou muito tímida!!!! O pessoal que me conheceu no Congresso achou que eu estava brincando quando falava isso, mas é verdade, eu sou tímida! O caso é que me esforço muito para não transparecer essa timidez. Eu preciso me vender e vender o meu serviço, e para isso, não posso ser tímida. Ainda não está convencido? Veja o primeiro vídeo do canal do youtube e um dos mais recentes. A diferença é incrível! Cada um tem a sua técnica para vencer a timidez. Se vocês quiserem, eu conto qual foi a minha. E, fato: quando você esquece a timidez, as portas se abrem!

Foque nos bons exemplos! Esse foi um dos primeiros insights que tive durante o Congresso (já perceberam que estou escrevendo tudo fora da ordem, né?! rs). Na sexta-feira, antes do workshop de Tradução para Dublagem, fiquei assistindo alguns Snaps para passar a hora, e vi um do Murilo Gun. Ele estava falando sobre exemplos. Muitas vezes olhamos apenas para aquelas pessoas que estão fazendo algo errado e esquecemos de olhar para quem está fazendo certo. Se você admira alguém, siga os passos dessa pessoa. Comece a pensar nessa pessoa como sua mentora. Eu, por exemplo, tenho vários “metores secretos” na tradução e procuro seguir os passos deles. Presto atenção no fazem que dá certo e adapto para mim. Precisamos de bons exemplos para nos inspirar!

Comece com pouco, porque quando você quer abraçar o mundo, você desiste. Sabe aquele momento que a gente tem uma ideia e coloca toda a nossa energia naquilo e quer fazer mil coisas ao mesmo tempo? Calma! Faça uma coisa de cada vez. Vou usar o Tradutor Iniciante como exemplo: primeiro veio o blog. Um ano depois, a Fanpage, e só no ano passo é que surgiu o canal. Talvez, se eu tivesse começado o blog, a Fanpage e o canal ao mesmo tempo, não tivesse dado certo. Todos esses canais de comunicação que tenho com vocês exigem tempo e dedicação. É preciso começar com pouco para ir se acostumando à uma nova rotina, e com o tempo ir acrescentando novos desafios.

Eu tive outros insights durante o Congresso, mas foram mais pessoais, mas separei esses 5 porque achei que seria interessante para vocês.

Quem mais teve insight durante o 3 dias de Congresso? Deixa aqui nos comentários!!!

 

Home Office: 5 detalhes importantes

Que atire a primeira pedra quem nunca cometeu um erro sequer na vida! Mas também é verdade que quem é inteligente aprende com o erro dos outros, certo? Por isso decidi escrever esse post para alertar os tradutores iniciantes que vão começar a trabalhar em casa e querem montar seu home office.
Acho que já comentei aqui no blog que logo que parei de trabalhar no Banco e virei tradutora full time, meu home office era na mesa de jantar. Eu era recém-casada e ainda estava montando a casa, então não tinha um espaço só para mim. Essa conquista levou mais ou menos 2 anos para sair do papel e virar realidade.
É claro que durante esse tempo eu aprendi algumas coisinhas e quero deixar as dicas aqui para quem está pensando em criar um cantinho para trabalhar, e não cometa os mesmos erros que eu.
1) Dê preferências às mesas com gavetas
Eu pensava que gavetas eram dispensáveis, mas só depois que troquei minha mesa com 2 gavetas por uma sem gavetas é que percebi a verdadeira utilidade delas.
2) Se você é espaçoso como eu, evite comprar mesas pequenas
Não consigo trabalhar só com o notebook em cima da mesa. Preciso ter um porta lápis e minha agenda. Sim, eu ainda tenho minha agenda de papel, mesmo com toda a tecnologia do século.
3) Não economize na cadeira
Já errei por duas vezes. Na primeira vez comprei uma cadeira barata (pela internet) e um dia, um dos braços quebrou. Passou mais um tempo e o que quebrou foi uma das rodinhas (se meu marido não estivesse perto, eu ia cair sentada no chão). Decidi que a próxima cadeira seria de qualidade. Quando fui comprar, só lembrei da postura, mas esqueci de vários outros detalhes. A cadeira não tem braços (isso é muito importante para mim), e o assento é bem estreito, logo, não é tão confortável para passar horas trabalhando sentada.
4) Fique atento à iluminação
Se o ambiente escolhido para montar o seu home office for um pouco escuro, opte por colocar uma boa luminária na sua mesa. Também evite deixar o seu monitor de frente para a janela, para evitar o reflexo na tela, principalmente se a tela não for LED.
5) A profundidade e a altura da mesa são muito importantes
Eu achava que a altura das mesas era algo padrão, mas percebi que não. Se você for comprar seus móveis do home office pela internet, fique atento às medidas, e se for à uma loja física, tente medir a altura da mesa com relação à cadeira. Quando comprei minha mesa atual ela estava sob um tablado, e não percebi o quanto era baixinha (o que é um problema sério para pessoas altas como eu).
Aprendi que não adianta comprar os móveis do home office só pensando na beleza ou em apenas uma parte da praticidade e ergonomia. É preciso pensar em todo o conjunto, ou então, levaremos muitas surras até chegar ao cantinho ideal.
Um dia eu vou mostrar o meu home office para vocês, pelo youtube, e explicar melhor esses detalhes. Então, se você ainda não está inscrito no canal, clica aqui e se inscreve para ficar por dentro das dicas!
Só para vocês terem uma ideia, deixo uma foto do antes e depois do meu home office.
2015

 

2016

Meu 1º trabalho como intérprete – Parte 4 – O que aprendi

Dessa vez fiz um pouquinho diferente! Peguei uma experiência minha bem recente, dividi em 4 posts, porém com um novo estilo: fiz os posts como se fosse um diário, contando um pouquinho do que vivi nesses dois dias trabalhando como intérprete. Não sei o que vocês acharam desse estilo. Querem que continue fazendo isso ou preferem os posts mais diretos e só com dicas? Os posts do blog são para ajudar vocês, então, conversem comigo e digam o que preferem, qual estilo e assuntos.
Mas, voltando ao nosso assunto, após contar como foram esses dois dias como intérprete, vou contar agora o que aprendi com essa experiência para fechar os posts da série “Meu 1º trabalho como intérprete“.
1º – Estudar e praticar são duas coisas que nunca saem de moda. Confesso que se talvez eu não tivesse pego alguns vídeos do youtube para praticar interpretação simultânea em casa, acredito que não teria feito um bom trabalho (lembram que comentei que logo na primeira palestra encarei uma simultânea sussurrada?). Se praticar é importante, não preciso nem falar que estudar é essencial, né?!
 2º – Estar preparado para agarrar as oportunidades que possam surgir também é algo que parece um conselho básico e comum, mas muitas vezes não nos atentamos a isso. Se não me sentisse preparada, não teria podido aproveitar essa oportunidade que apareceu. Apesar da insegurança (estaria mentindo se dissesse que não senti aquele friozinho na barriga), encarei a situação e fui! Sabia que tinha condições de fazer um bom trabalho, então, estudei o conteúdo relacionado ao assunto informado e fui (com a cara e a coragem).
3º – Ter cartões de visita é sempre bom. Senti muita falta por não ter mais nenhum para trocar com os outros colegas intérpretes e com os palestrantes e demais pessoas com as quais tive contato. Se a quantidade de cartão que você tem já está acabando, faça mais! Se você ainda não tem, faça! E lembre-se de levar alguns na sua bolsa ou carteira para qualquer lugar que você for, assim não corre o risco de esquecer, ou então já está preparado caso surja uma oportunidade do nada.
4º – Falar de um jeito que o cliente entenda também é uma dica que a galera do marketing sempre dá, mas nunca pensei que fosse tão importante. Não comentei nos outros posts, mas apesar de saber que o nome correto é Interpretação (seja ela simultânea, consecutiva, sussurrada), quando me apresentava como intérprete as pessoas ficavam me olhando como se estivessem esperando mais alguma explicação e só “caía a ficha” quando eu falava que era a tradutora. OK! Vamos usar a linguagem do cliente para que ele consiga entender quem somos, o que fazemos e como podemos ajudá-lo.
5º – Às vezes é preciso condensar o que é dito, principalmente se for interpretação simultânea. Assim como na legenda, se formos traduzir palavra por palavra pode nos faltar tempo e “entupir” o ouvinte com muita informação. Por isso é importante saber condensar a informação, adaptar algumas palavras ou expressões por palavras menores, mas sempre de um jeito que não modifique a mensagem que está sendo passada e nem cause prejuízo para o ouvinte final.

6º – Tenha sempre uma garrafinha de água por perto. Nesses dois dias eu bebi mais água do que o normal. Não sei se foi porque falei muito ou por causa da tensão, ou a junção das duas coisas. Mas o fato é que bebi e continuo bebendo muita água. Tenho sentido que minha boca e garganta estão muito secas e preciso hidratar com mais frequência. Não bebo litros de água de uma vez, mas agora ando com uma garrafinha do lado e fico bebericando o tempo todo.

7º – Spray de própolis também é recomendado. Essa dica eu recebi de uma outra intérprete (com mais experiência), que disse que o ideal é andar sempre com um spray desse tipo na bolsa. Confesso que a princípio achei que isso era bobeira e que não haveria necessidade, mas com o passar dos dias acabei comprando um para experimentar, pois com a garganta ressecada acabei ficando com uma tosse chatinha, e o spray de própolis deu um alívio ótimo!

8º – Confidencialidade também é importante na interpretação. Assim como muitas vezes traduzimos documentos confidenciais para algumas empresas, na interpretação ocorre o mesmo. Neste meu primeiro trabalho a maioria das interpretações que fiz não foram confidenciais, pois eram minicursos e workshop, mas no segundo dia, quando comentei que interpretei a conversa entre o Presidente da Organização do Congresso e os membros da Asociación Gestáltica del Uruguay, o conteúdo dessa conversa era confidencial. É preciso saber guardar segredos. Se você tem dificuldade com isso, é preciso se policiar, pois o conteúdo de certas conversas, palestras, reuniões não podem sair daquele ambiente.
Isso foi o que eu aprendi na prática durante esses dois dias atuando como intérprete. É claro que tudo o que escrevi aqui para vocês foi o que eu lembro. Não sei se aprendi algo mais. Acredito que sim, mas deve ter ficado no inconsciente. De qualquer forma, todas as dicas que eu lembrar e que tiver para dar para vocês eu vou deixar em algum post aqui no blog.