Como ser um tradutor ainda melhor

Todo cliente, seja ele cliente direto ou agência de tradução vai preferir o profissional que faça o trabalho da melhor maneira possível. Ser um bom tradutor é essencial para conseguir mais trabalhos, mas qualidade não é argumento de diferencial, pois é o mínimo que podemos oferecer, então, deixo algumas dicas abaixo para você se tornar um tradutor ainda melhor!

Verifique os trabalhos antes de aceitá-los! Jamais aceite um trabalho e combine valores e prazo de entrega antes de verificar o arquivo, pois às vezes podemos nos enganar, achando que o mesmo será fácil e quando vemos, percebemos que possui algumas dificuldades, seja por motivos de vocabulário, por ser um documento não editável, ou qualquer outro detalhe que dificulte e tarde a entrega. Fazer um trabalho com prazo de entrega curto nos traz um ambiente infeliz e de ansiedade, o que pode causar a perda de qualidade do serviço. Portanto, esteja ciente de como é o trabalho que está recebendo para combinar tudo com o cliente e não frustrá-lo no meio do prazo combinado.

Descanse! Você não é uma máquina, e como todos, também tem direito a descansar. Faça pausas para beber água, alongar, almoçar, e até mesmo dormir. Muitos tradutores passam noites em claro trabalhando, mas não permita que isso vire uma rotina!



Domine suas ferramentas de trabalho! Todo profissional que precisa de uma ferramenta para auxiliar seu trabalho deve conhecê-la para utilizá-la da melhor maneira possível. A mesma coisa acontece com o tradutor. As ferramentas de tradução assistida são atualmente muito úteis, porém muitos tradutores não investem seu tempo para realmente aprender a usá-las de forma eficiente, o que leva à perda dos elementos de aprimoramento da produtividade que as CAT’s oferecem. Leia o manual, quando tiver dúvidas, pergunte a um colega que a utiliza, invista em cursos para se aprimorar e aperfeiçoar sua carreira e trabalhos.

Conheça seus limites! Muitos profissionais que trabalham na área de tradução são autônomos, o que faz com que não saibamos como será o nosso amanhã. Pode ser que esse mês consigamos um salário de R$10.000,00 e no próximo mês não chegue a um salário mínimo. Isso faz com que surja a tentação de aceitar todos os trabalhos que aparecem para garantir mais dinheiro, porém cuidado! Isso pode levar você a uma perda drástica na qualidade do trabalho, e às vezes a perda do cliente, também. É melhor explicar ao cliente que não há como fazer um trabalho de qualidade dentro daquele prazo e perder apenas um trabalho, do que aceitar e perder o cliente.
Faça a diferença! Não seja apenas mais um no meio da multidão. É importante ter algo para se destacar, de forma positiva, é claro. Ofereça algo a mais em cada trabalho que você traduzir. Um serviço extra pelo qual você não cobra. Sempre que você for além do solicitado, tenha certeza que este ato não passará desapercebido.
Seja um tradutor ainda melhor do que você já é, ou pretender ser!

Gostou das dicas? Curta! Compartilhe com seus colegas! De um +1! 

Texto inspirado no post How to be a happy translator

Tradução Automática e Tradução Assistida

Uma das discussões que podemos encontrar no meio dos tradutores é sobre a tradução automática e a tradução assistida. Com o tempo, você encontrará pessoas que defendem a tradução automática com todas as suas forças e também quem a condene. O mesmo ocorre com a tradução assistida: há tradutores que podem dizer que essas ferramentas não são necessárias, como também, há outros que não aceitam que um tradutor trabalhe sem utilizá-las.
Mas, qual a diferença entre elas? Em que irão me ajudar ou não?
A tradução automática (MT) não é tão precisa, e tampouco pode ser comparada à tradução feita por uma pessoa, mas ajuda bastante caso o leitor não tenha ideia do que está escrito e deseja ter uma noção.
A máquina fará uma tradução rápida, porém com muitos erros, principalmente quando o texto a ser traduzido não for técnico, pois a máquina não sabe interpretar.
Para pessoas que trabalham com tradução técnica, com tradução de manuais, receitas de cozinha e textos que sigam um determinado padrão de escrita a tradução automática pode ajudar bastante. O trabalho não será perfeita! É preciso revisar e corrigir bastantes erros.
Já a tradução assistida (CAT) padroniza o texto traduzido, os termos utilizados, as frases que se repetem, pois há uma memória de tradução que guarda os termos já traduzidos anteriormente. Isso também ajuda a adiantar bastante o trabalho dos tradutores, e a maioria das agências de tradução utilizam essa ferramenta para ganhar tempo nos trabalhos, pois um arquivo com 10.000 palavras pode se transformar em um arquivo com apenas 2.000 palavras para traduzir, pois as outras 8.000 podem já estar na memória de tradução, por já terem sido utilizadas em traduções de documentos anteriores.
É muito importante conhecer ambas as ferramentas e saber como e quando utilizá-las. Um exemplo de tradução automática é aquela que vemos no famoso Google Translate, ou no Bing Translator. Em relação à tradução assistida, você pode utilizar softwares como o Omega T ou o Wordfast Anywhere que são gratuitos e excelentes para quem está começando e pretende conhecer melhor as ferramentas antes de investir em uma CAT que não seja gratuita.
Meu conselho é que você faça os testes e tire suas próprias conclusões. Procure diversos tipos de textos e traduza cada um deles usando um tradutor automático e uma ferramenta de tradução assistida para perceber as diferenças e decidir qual a melhor forma de realizar um trabalho de qualidade com a ajuda da tecnologia.