Você topa ser desafiado???

Quem é vivo sempre aparece!!! E depois de muitos meses sem escrever eu voltei para desafiar você, tradutor iniciante e experiente que segue o blog!

Quem já trabalha com tradução passa muito tempo sentado, sem fazer exercícios. Confesso que isso começou a me incomodar muito ano passado, e em novembro tomei vergonha na cara e me matriculei em uma academia. Fui direitinho no primeiro mês, mas aí dezembro chegou e os clientes queriam tudo pra ontem. Adivinhem! Fiquei o mês de dezembro todo sem fazer exercício (e comi muito no natal e no ano novo). Em janeiro comecei o ano decidida. Até meados de fevereiro estava fazendo exercícios e com uma alimentação perfeita, mas do nada os trabalhos começaram a tomar meu tempo de tal maneira que parei de malhar, de novo.

Por que estou falando tudo isso? Porque acredito que o que aconteceu comigo pode acontecer/acontece com mais pessoas. Mas aí vem a parte legal! Quero voltar à minha rotina saudável e mudar alguns hábitos de trabalho e a Rafa Lombardino lançou um desafio que eu adorei e quero compartilhar com vocês!

mexa-se-tradutoriniciante

O DESAFIO MEXA-SE visa incentivar os tradutores a fazer mais exercício, melhorar a qualidade de vida e diminuir o estresse. Para participar, basta baixar o App Endomondo e marcar as atividades físicas concluídas. Se sua atividade for ao ar livre (caminhadas, corridas, passeio de bicicleta…), basta escolher a modalidade no App e dar o play para registrar a distância usando o GPS do celular. Se estiver na academia, é preciso adicionar o exercício manualmente, tirando uma foto do visor do aparelho usado e incluir a foto no exercício. Para que um colega motive o outro, o ideal é ativar o compartilhamento automático no Facebook para que todos possam ver, se motivar e te incentivar ainda mais.

ATENÇÃO!!!!
Para participar do desafio, clique aqui, faça o login com o facebook e depois baixe o App no seu celular.

Já baixei o App no meu celular! Não garanto que vou compartilhar sempre no Facebook (não gosto dessa rede social), mas no Instagram com certeza vai rolar compartilhamentos!!!

Quem mais vai aceitar esse desafio??? o/

Home Office: 5 detalhes importantes

Que atire a primeira pedra quem nunca cometeu um erro sequer na vida! Mas também é verdade que quem é inteligente aprende com o erro dos outros, certo? Por isso decidi escrever esse post para alertar os tradutores iniciantes que vão começar a trabalhar em casa e querem montar seu home office.
Acho que já comentei aqui no blog que logo que parei de trabalhar no Banco e virei tradutora full time, meu home office era na mesa de jantar. Eu era recém-casada e ainda estava montando a casa, então não tinha um espaço só para mim. Essa conquista levou mais ou menos 2 anos para sair do papel e virar realidade.
É claro que durante esse tempo eu aprendi algumas coisinhas e quero deixar as dicas aqui para quem está pensando em criar um cantinho para trabalhar, e não cometa os mesmos erros que eu.
1) Dê preferências às mesas com gavetas
Eu pensava que gavetas eram dispensáveis, mas só depois que troquei minha mesa com 2 gavetas por uma sem gavetas é que percebi a verdadeira utilidade delas.
2) Se você é espaçoso como eu, evite comprar mesas pequenas
Não consigo trabalhar só com o notebook em cima da mesa. Preciso ter um porta lápis e minha agenda. Sim, eu ainda tenho minha agenda de papel, mesmo com toda a tecnologia do século.
3) Não economize na cadeira
Já errei por duas vezes. Na primeira vez comprei uma cadeira barata (pela internet) e um dia, um dos braços quebrou. Passou mais um tempo e o que quebrou foi uma das rodinhas (se meu marido não estivesse perto, eu ia cair sentada no chão). Decidi que a próxima cadeira seria de qualidade. Quando fui comprar, só lembrei da postura, mas esqueci de vários outros detalhes. A cadeira não tem braços (isso é muito importante para mim), e o assento é bem estreito, logo, não é tão confortável para passar horas trabalhando sentada.
4) Fique atento à iluminação
Se o ambiente escolhido para montar o seu home office for um pouco escuro, opte por colocar uma boa luminária na sua mesa. Também evite deixar o seu monitor de frente para a janela, para evitar o reflexo na tela, principalmente se a tela não for LED.
5) A profundidade e a altura da mesa são muito importantes
Eu achava que a altura das mesas era algo padrão, mas percebi que não. Se você for comprar seus móveis do home office pela internet, fique atento às medidas, e se for à uma loja física, tente medir a altura da mesa com relação à cadeira. Quando comprei minha mesa atual ela estava sob um tablado, e não percebi o quanto era baixinha (o que é um problema sério para pessoas altas como eu).
Aprendi que não adianta comprar os móveis do home office só pensando na beleza ou em apenas uma parte da praticidade e ergonomia. É preciso pensar em todo o conjunto, ou então, levaremos muitas surras até chegar ao cantinho ideal.
Um dia eu vou mostrar o meu home office para vocês, pelo youtube, e explicar melhor esses detalhes. Então, se você ainda não está inscrito no canal, clica aqui e se inscreve para ficar por dentro das dicas!
Só para vocês terem uma ideia, deixo uma foto do antes e depois do meu home office.
2015

 

2016

Fiquei sem computador! E agora, como vou trabalhar?

Infelizmente quando trabalhamos como autônomos, às vezes acontecem alguns probleminhas que temos que resolver “da noite para o dia” ou durante vários dias…
Meu notebook quebrou e tentei continuar usando sem consertar para não correr o risco de perder trabalhos, afinal, o computador é o meu instrumento de trabalho. Mas chegou um momento que não tive mais como segurar e precisei levá-lo à assistência técnica.
Aproveitei esse período do carnaval (já que o país para) para fazer esse reparo, pois que imaginei que quarta-feira de cinzas, quinta e sexta seriam dias “mortos” e assim não perderia muito trabalho.
Quando falo de perder trabalho, não digo somente pelo dinheiro, mas por ter que dizer “não” para meus clientes e agências. Eu detesto fazer isso, e só o faço em último caso. E para evitar essa situação, continuei trabalhando usando o iPad. Não é o melhor instrumento de trabalho, até porque não tenho como usar minhas CATs nem os software, mas… Sempre que possível e quando não me exigem que a tradução seja feita com uma CAT, eu uso o iPad quando estou sem meu computador.
Mas aí você me pergunta (ou sugere): “Laila, você não poderia pegar um computador emprestado?!” Até poderia (e pensei nessa possibilidade). Pensei em pegar o netbook do marido, o computador da minha mãe, o notebook da sogra… Só que continuaria com o mesmo problema do iPad: nenhum deles têm os programas que preciso para trabalhar normalmente, e alguns sequer têm o Office instalado.
Solução: Entrei em contato com as agências que exigem o uso das CATs e informei meu problema. Quanto aos demais, também comentei sobre o problema e informei que faria a tradução usando o iPad, e que mesmo assim eu manteria a formatação do texto, mas que em alguns casos a fonte poderia estar diferente, já que o iPad não possui todas as fontes do word.
Fiquei feliz de não ter perdido muito trabalho, mas estou agoniada de estar sem o meu computador!!! Tão agoniada que resolvi roubar pegar o netbook do marido emprestado para fazer esse post e mostrar que nem sempre é tão simples ser um tradutor autônomo.
Algumas dificuldades podem surgir e precisamos contornar situações como essa para evitar que nossos clientes fiquem na mão e para que não fiquemos sem trabalho.
A previsão que a assistência técnica me deu para devolver o computador foi até o dia 23/02 (mais de uma semana sem notebook, graças ao carnaval). Enquanto isso, vou me virando como posso.
Lembre-se: O problema pode aparecer, mas você deve sempre procurar a solução que te favoreça e que favoreça os seus clientes ao invés de se acomodar.