Tradução Automática e Tradução Assistida

Uma das discussões que podemos encontrar no meio dos tradutores é sobre a tradução automática e a tradução assistida. Com o tempo, você encontrará pessoas que defendem a tradução automática com todas as suas forças e também quem a condene. O mesmo ocorre com a tradução assistida: há tradutores que podem dizer que essas ferramentas não são necessárias, como também, há outros que não aceitam que um tradutor trabalhe sem utilizá-las.
Mas, qual a diferença entre elas? Em que irão me ajudar ou não?
A tradução automática (MT) não é tão precisa, e tampouco pode ser comparada à tradução feita por uma pessoa, mas ajuda bastante caso o leitor não tenha ideia do que está escrito e deseja ter uma noção.
A máquina fará uma tradução rápida, porém com muitos erros, principalmente quando o texto a ser traduzido não for técnico, pois a máquina não sabe interpretar.
Para pessoas que trabalham com tradução técnica, com tradução de manuais, receitas de cozinha e textos que sigam um determinado padrão de escrita a tradução automática pode ajudar bastante. O trabalho não será perfeita! É preciso revisar e corrigir bastantes erros.
Já a tradução assistida (CAT) padroniza o texto traduzido, os termos utilizados, as frases que se repetem, pois há uma memória de tradução que guarda os termos já traduzidos anteriormente. Isso também ajuda a adiantar bastante o trabalho dos tradutores, e a maioria das agências de tradução utilizam essa ferramenta para ganhar tempo nos trabalhos, pois um arquivo com 10.000 palavras pode se transformar em um arquivo com apenas 2.000 palavras para traduzir, pois as outras 8.000 podem já estar na memória de tradução, por já terem sido utilizadas em traduções de documentos anteriores.
É muito importante conhecer ambas as ferramentas e saber como e quando utilizá-las. Um exemplo de tradução automática é aquela que vemos no famoso Google Translate, ou no Bing Translator. Em relação à tradução assistida, você pode utilizar softwares como o Omega T ou o Wordfast Anywhere que são gratuitos e excelentes para quem está começando e pretende conhecer melhor as ferramentas antes de investir em uma CAT que não seja gratuita.
Meu conselho é que você faça os testes e tire suas próprias conclusões. Procure diversos tipos de textos e traduza cada um deles usando um tradutor automático e uma ferramenta de tradução assistida para perceber as diferenças e decidir qual a melhor forma de realizar um trabalho de qualidade com a ajuda da tecnologia.

Como começar minha carreira como tradutor?

Colegas Tradutores Iniciantes,
Pelo que tenho visto no meu dia a dia e lido em vários blogs e sites, além de alguns conselhos sobre como começar a carreira de tradutor (comecei a pesquisar sobre isso algum tempo depois de já estar trabalhando como tradutora profissional), destaquei alguns pontos que são importantes:
PESQUISAR – Leiam e pesquisem tudo o que puderem sobre tradução para ter a certeza se é isso que querem fazer. Conheço algumas pessoas que “se aventuraram” na área e acabaram desistindo por acharem que é uma carreia muito solitária. Pesquisem também os jargões utilizados na profissão para que não fiquem perdidos. Uma outra dica é ouvir o TradCast – o primeiro podcast brasileiro de tradução, pois há várias discussões sobre temas da área.
 
ESTUDAR – Pensar que basta ter um pouco de conhecimento sobre algum idioma pode o suficiente para ser tradutor é um erro tremendo! Para ser um tradutor profissional, é importante dominar tanto o idioma materno como o estrangeiro para que haja qualidade no trabalho.
CAT – é importante aprender a usar alguma CAT, pois muitas agências dão preferência ao tradutor que sabe utilizar algumas delas. Para conhecer e verificar como funciona, aconselho que façam o download de uma gratuita, como o Omega T. Dizem que o Wordfast tem uma versão gratuita, mas ainda não consegui encontrar.
CV – Outro detalhe importante é ter um bom currículo, e de preferencia voltado para a área que deseja trabalhar, que neste caso é a tradução. Neste post você pode encontrar um modelo de como criar o seu currículo.
PERFIL – Muitos tradutores começam a carreia como freelancer, e para isso, é preciso aparecer! Crie perfis em alguns sites como LinkeIn, ProZ, Empreendemia, Freela, Translators Café, GetNinjas, Tradutores, TRAG, Translation Directory e outros que não lembro agora, mas prometo que conforme for lembrando, postarei.Para finalizar esse post, quero lembrar a todos que apesar da tradução ser uma profissão não regulamentada, você não deve pensar nessa carreira apenas como um bico. Dedique-se a ela como a qualquer outra profissão. Se você for um bom tradutor, conseguirá bastantes clientes e terá que se organizar para conseguir entregar todos os trabalhos dentro do prazo. Se não levar a profissão a sério, os poucos clientes que conseguir, podem trocá-lo por outro profissional.