III Café com Tradução – parte 2

Como prometido, aqui está a segunda parte do post sobre o III Café com Tradução, que aconteceu no Rio de Janeiro, no dia 21 de novembro de 2015.
5ª Palestra: Erros frequentes de portuguêsClaudia Belhassof
Logo que voltamos do almoço, tivemos uma senhora aula de português com a Claudia! Foi uma palestra excelente voltada para um tema que muitas vezes deixamos de lado: a nossa língua materna.
A Claudia comentou sobre vários erros que cometemos constantemente quando escrevemos. Vou destacar alguns:
Fim x Final – Fim é o antônimo de início, e final é o antônimo de inicial.
Usar o futuro do presente com verbo auxiliar – Fulano irá estudar medicina. (errado)
Usar o futuro do pretérito com verbo auxiliar – Fulano iria estudar medicina. (errado)
Em vez de x Ao invés de – “Em vez de” indica “em lugar de”, e “ao invés de” indica oposição. Para não errar, Claudia deu a dica de usar sempre “em vez de”.
E quanto aos acentos…
Pôr (verbo) x Por (preposição) – Pôr (verbo) não perdeu o acento.
Pode x Pôde (não perdeu o acento)
Essas são algumas dicas que achei importante mencionar.
Quem quiser conhecer mais sobre a Claudia, é só entrar no site claudiabelhassof.com.br.
***
Entre a 5ª e a 6ª palestra, o William Cassemiro falou um pouquinho sobre a #Abrates , para tirar algumas dúvidas que os tradutores presentes tinham.
Ele comentou que nos últimos 5 anos, a Abrates passou de 200 para 800 membros!!! =D
Também destacou alguns benefícios que os associados têm: assessoria jurídica, convênio com corretoras, descontos em inscrições em congressos, seguro de vida e funeral, e a partir de 2016, os Tradutores Iniciantes poderão usufruir do serviço de mentoring que será oferecido.
Todo o valor que a Abrates recebe é investido em eventos, brindes, etc, para os tradutores.
Quem quiser saber mais, pode dar uma olhada no post “Abrates: o que é e por que devo me associar?“, ou entrar em contato diretamente com a Abrates pelo site ou do e-mail secretaria@abrates.com.br .
***
6ª Palestra: Como trabalha um intérprete?Helena Wergles
Para os interessados em interpretação (como eu), a Helena deu algumas dicas muito valiosas, e a primeira delas é a de chegar ao local do evento com 45 minutos de antecedência para fazer os testes na cabine e ver se o equipamento está OK.
Outro detalhe é que as interpretações devem ser feitas exatamente da forma como o palestrante fala. Se usar primeira pessoa, a interpretação será na 1ª pessoa.
Helena falou também que ao enviar um orçamento, devemos cobrar a nossa diária, as horas extra, caso o evento seja muito grande e você precise de outros intérpretes para trabalhar contigo, você pode cobrar uma taxa de coordenação (5%) e, se o evento for fora da sua cidade, você pode e deve cobrar a passagem (ida e volta), hospedagem em apartamento individual, refeições, ajuda de custo para transporte, e compensação por dia consagrado à viagem.
Dicas preciosas para quem pretende ser intérprete ou está começando a atuar nessa área.
7ª Palestra: Tradutores e empresas de tradução – Uma relação possívelRicardo Souza
Esta foi a última palestra do dia, e o Ricardo abordou um tema bastante polêmico, principalmente nos grupos de tradução.
O Ricardo começou sua palestra explicando que há 4 tipos de compradores de tradução: editoras, sociedades, instituições acadêmicas, linguistas e empresas/agências de tradução. Ele também comentou que muitos tradutores veem as empresas/agências de tradução como exploradoras, desorganizadas e deletérias, e acredita que isso aconteça por falta de conhecimento do que implica ser uma empresa de tradução, ou porque há uma preocupação exagerada com o lucro das empresas/agências de tradução.
Quanto ao motivo de um cliente pesquisar com várias agências, empresas ou profissionais autônomos o orçamento para a realização de um serviço, é pelo mesmo motivo que você não entra no primeiro mercado que vê e sai comprando os produtos que precisa. Geralmente as pessoas entram em um mercado e analisam o preço, a marca, a qualidade, para saber se vale a pena pagar ou não por aquilo. Nossos clientes também fazem isso!
O grande segredo é focar no seu trabalho. Esquece se a agência/empresa para a qual você trabalha está tendo lucro demais com você. Haja profissionalmente! Se não estiver satisfeito, é só informar que não realizará mais trabalhos para ela.
Também é importante lembrar que nem sempre o melhor cliente é aquele que te paga mais. Às vezes o seu melhor cliente pode pagar uma tarifa mais baixa, mas te oferece prazos confortáveis, paga em dia, etc.
Quem quiser conhecer um pouco mais sobre o Ricardo, é só entrar no site rsouzabrazil.wix.com/translator.
***
Para fechar o evento com chave de ouro, foram feitos vários sorteios de diversos livros.
Só para variar um pouquinho, eu não fui sorteada (rs), mas tive a oportunidade de sortear um livro “Tradutor Iniciante: O que você precisa para começar sua carreira!
Parabéns a todos os ganhadores do sorteio!!
E que venham mais edições do Café com Tradução!!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.