5 dicas para quem quer abrir empresa

Uma das minhas metas para 2016 era é a de abrir a minha empresa. Uma meta audaciosa, que vai exigir muito de mim daqui para frente, mas é algo que eu quero muito. E como sempre, vou vivendo, aprendendo e compartilhando minhas experiências com vocês. Por isso, decidi fazer esse post com algumas dicas para quem quer abrir sua empresa de tradução.

Dica #1 – Analise se realmente é o momento de se formalizar. Eu falei sobre isso no último vídeo de 2015, lá no canal Tradutor Iniciante. Quem não viu esse vídeo, pode clicar aqui para assistir. Eu sei que o blog é voltado para quem está começando na profissão, mas é importante falar sobre isso, pois algumas agências solicitam Nota Fiscal, e apenas empresa consegue emitir Nota Fiscal.
É preciso lembrar que abrir uma empresa é encarar alguns custos. Ao abrir uma empresa passaremos a ter custos como o honorário do contador, impostos, tarifa de conta bancária, sem falar no custo para abrir a empresa, taxa da documentação, etc.
Se você ainda não tem uma carteira de clientes suficiente para gerar uma boa receita, aguarde mais um pouco. Talvez este ainda não seja o seu momento.
Dica #2 – Pesquise! A vida do tradutor é feita de pesquisas! Se você acha que já é o momento de abrir sua empresa e passar a emitir Nota Fiscal em seu nome, comece a pesquisar contadores (escolha um de sua confiança ou peça indicação), bancos (para saber qual oferece o melhor custo benefício para abrir sua conta PJ), e o tipo de empresa que deseja abrir (ME, EIRELI, LTDA). Não faça nada na emoção. Tudo deve ser friamente calculado.
Dica #3 – Comece a fazer a reserva da empresa. Quando decidi que era o momento de abrir minha empresa, fiquei praticamente 6 meses juntando capital, pois sabia que a formalização não seria algo barato. Para alguns tipos de empresa você precisa ter um capital mínimo para começar, e eu não queria tirar dinheiro do bolso pra isso, então, toda vez que conseguia trabalho de um cliente direto, eu separava aquele dinheiro em um envelopinho e guardava. Sabia que aquele dinheiro era da empresa, e não meu. Agora, não preciso mexer na minha conta para pagar a documentação de abertura da empresa, ter o capital inicial e fazer qualquer pagamento que seja necessário. Mas preciso, no mínimo, manter o faturamento para quitar as despesas futuras.
Dica #4 – Fique atento ao seu público-alvo. Não adianta abrir empresa e não saber onde está o seu cliente, assim como não adianta saber onde encontrar o cliente e não saber vender o seu serviço. Quanto mais trabalho você receber, melhor! Mas isso não significa que você deve sair atirando para todos os lados. Foque, selecione, niche o seu público para saber exatamente onde ele está e facilitar a sua busca por novos clientes, sem esquecer dos antigos, é claro.
Dica #5 – Estruture o seu negócio. Essa é a primeira coisa que deve ser feita. Na verdade, isso deve ser feito muito antes de começar a pensar em abrir uma empresa. Todo tradutor deveria pensar nisso no momento em que decidiu seguir essa profissão. Se você ainda não fez isso, faça! Se não sabe como fazer, fique ligado, pois no dia 28/01 vou apresentar um webinar ensinando você a estruturar o seu negócio! Para saber mais, clique aqui.
Eu fiz isso tudo. Estou abrindo minha empresa e assim que estiver com tudo OK, vou contar cada detalhe da minha experiência aqui no blog, ou no canal do YouTube. Se você ainda não está inscrito no canal, corre lá e se inscreve! Toda quarta-feira tem vídeo novo com dicas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.