VI Congresso da Abrates – Parte 1

 

Se alguém pedisse para dizer como foi o Congresso da Abrates com apenas 1 palavra, eu diria: PERFEITO!!!
Apesar de já ter participado de alguns eventos, esse foi o meu primeiro Congresso. Confesso que me arrependi de não ter ido nos anteriores. E já aviso que pretendo estar presente nos próximos!!
Para quem não pôde ir, ou para quem foi, mas assistiu alguma palestra diferente das que eu escolhi, pode aproveitar para ver aqui como foi, e aprender mais um pouquinho. Sim, aprendemos muito durante os três dias de congresso. Foi uma troca de experiência maravilhosa!!!
Logo no dia 05/06 (primeiro dia), na abertura do Congresso, recebemos uma notícia que foi uma surpresa muito boa! A Abrates fechou parceria com o Paypal, e agora, todos os associados que pagavam uma taxa de aproximadamente 7%, terão a taxa reduzida para 3,49% + R$0,60 por transação (válido somente para tradutores/intérpretes associados), e isso sem falar dos outros benefícios. Se você ainda não sabe quais são os benefícios que os associados têm, veja o post “Abrates: o que é e por que devo me associar?
Após a abertura, participamos do Keynote Speaker #1, com Lane Greene com o tema “‘Big but isolated’ languages in the world network”, onde foi apresentada algumas mudanças com relação à “força” dos idiomas durante o decorrer dos anos, já que línguas como a francesa, e a russa que antigamente tinham muita força, hoje em dia quase não aparecem conectadas a outros idiomas. E o chinês, apesar de ser a língua mais falada (ou com mais falantes), não possui muitas conexões com outros idiomas.
Um dos ouvintes levantou a seguinte questão: “Por que o chinês não é o idioma do futuro?”
Muitas vezes ouvimos que a língua chinesa vem ganhando força, e que quem estuda mandarim está praticamente com o futuro ganho, porém, além da informação já passada, Greene acrescentou dizendo que o chinês só está sendo usado entre falantes de chinês e apesar da gramática ser simples, a escrita não é. Ele informou, inclusive, que os próprios nativos às vezes esquecem como é a escrita e sequer conseguem ler um jornal.
Ao terminar o Keynote, a Abrates nos presenteou com um coquetel de abertura, muito chique, e com direito a vinhos, espumantes e até mesmo caipirinha (a fila estava grande!!!). Fiquei admirada, pois esperava algo muito mais simples.
Separei algumas fotos para compartilhar esse momento com vocês.

 

Não tinha mais taça de espumante, mas não é por isso que a gente vai deixar de brindar, né?!
Sim, eu pedi a rolha!!!! Essa não poderia faltar na minha coleção!!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.