10 coisas que todo tradutor deve saber!

Começar a carreira como tradutor não é tão fácil como parece. Para conseguir trabalho, precisamos de clientes diretos ou de agências de tradução. Aí, começa a grande busca! Na maioria das vezes, a melhor forma de começar é trabalhar com agências de tradução. Porém, existem alguns detalhes que a maioria dos tradutores iniciantes não sabem. Fiquem atentos às dicas abaixo. Algumas delas foram inspiradas no post feito pela BTS.
1) Atenção ao enviar seu currículo! Antes de enviar seu currículo para alguma agência de tradução, entre no site e pesquise sobre a agência. Verifique se trabalham com os pares de idiomas que você traduz e se as áreas de tradução são as mesmas que a sua, pois não adianta querer ser tradutor de uma agência que trabalha com tradução jurídica, por exemplo, se você não gosta dessa área.
2) Seja paciente!  As agências de tradução recebem grandes volumes de trabalho, então, não estranhe caso demorem a ver seu currículo ou a enviar um feedback sobre seu teste. Caso passe muito tempo, entre em contato novamente para relembrar sobre o teste realizado, ou reenviar o seu currículo.
3) Esteja disponível! As agências geralmente dão preferência aos tradutores que estão disponíveis para receber seus projetos. Por isso, esteja sempre atento aos seus e-mails, e sempre que possível fique online no Skype (um dos meios de comunicação mais utilizados entre agências e tradutores).

4) Seja pontual! Quando uma agência enviar um trabalho e te informar sobre o prazo de entrega, verifique se será possível cumprir. Se disser que irá fazer a tradução, passe noites em claro, caso seja necessário, mas entregue o trabalho dentro do prazo. Atrasar um trabalho pode fazer com que você não receba mais nenhum projeto daquela empresa, ou cliente.

5) Trabalhe com qualidade! Independente de receber um trabalho de um cliente direto ou de uma agência de tradução, faça-o da melhor maneira possível! Há tradutores que diferenciam agência de cliente direto, entregando um trabalho com qualidade inferior às agências simplesmente por saberem que sua tradução será enviada para um revisor. Lembre-se que a preferência será daquele profissional que se esforça mais e entrega um serviço que exija pouca ou nenhuma revisão.
6) Mantenha a formatação do texto! Nunca, jamais altere a fonte do texto, tamanho da letra, espaçamento, cor, negrito, etc. Apenas traduza. Há clientes e agências que não gostam que seus textos sejam alterados, nem mesmo para corrigir um erro gramatical.
7) Confidencialidade é tudo! Um tradutor precisa saber que os trabalhos que recebe para traduzir são confidenciais. As informações que o tradutor recebe devem morrer com ele. Por isso, muitas agências procuram se resguardar, assinando contratos de confidencialidade com seus tradutores.
8) Seja discreto!  Em seu currículo ou em alguma entrevista, você até pode até citar que trabalhou com a agência X ou o cliente Y, mas nunca dê detalhes sobre os projetos e textos traduzidos. Lembre-se da confidencialidade.
9) Utilize uma CAT! Já falamos sobre as CATs em outros posts do blog, mas nunca é demais lembrar que muitas agências dão preferência aos tradutores que sabem utilizar alguma CAT, pois elas poupam tempo e trabalho, além de deixar o texto mais uniforme. Por isso, procure aprender a utilizá-las. Há vários vídeos no youtube com tutoriais simples para quem está começando.
10) Seja organizado! Tire da sua frente tudo que possa distraí-lo na hora do trabalho. Abra algumas guias do seu navegador para adiantar o trabalho na hora de pesquisar algum termo ou palavra. Seja direto em suas pesquisas (para não perder tempo) e se possível, tenha um dicionário digital para facilitar suas buscas.

5 Comentários para: “10 coisas que todo tradutor deve saber!

  1. Jean-Pierre Barakat

    Excelentes dicas. Eu acrescentaria, melhorar seu comando do idioma português, assim como do idioma alvo. Depurar alguns vícios de linguagem e se desprender da estrutura sintática da gramática portuguesa quando se mergulha no idioma fonte. Cada idioma estrangeiro tem sua própria estrutura, e é bom se familiarizar com suas expressões e estruturas particulares. Bem, se me permite, quanto à formatação. Podemos, sim, formatar o documento para torná-lo mais apresentável, no entanto, sem usar mais de 2 fontes. Muitos documentos vêm desformatados e com mais de 2 fontes: não custa nada dar um jeitinho que o cliente com certeza gostará de ver. Até o momento, ninguém voltou para contestar este meu serviço extra. É claro, devemos ter uma visão estética do documento como um todo. Espero ter ajudado.

    Responder
    1. Laila Rezende Compan

      Olá, Jean-Pierre! Dica muito bem lembrada a sua, em relação aos idiomas. É sempre válido acrescentar esses detalhes, pois nem sempre é possível lembrar de todos!
      Quanto à formatação do texto, que bom que seus clientes gostaram, mas sempre me pediram para não alterar nada (apenas fazer a tradução). Também conheço tradutores que alteraram e depois receberam reclamações por isso. E sem falar que essa dica foi inspirada em um blog uma agência de tradução, como explico no início deste post.
      Enfim, quando estamos começando a trilhar um determinado caminho vale a pena conhecer todos os pontos de vista e escolher qual é o melhor para nós, verdade?
      Continue participando sempre e ajudando com as dicas! 😉

      Responder
  2. ROZANE SOUZA DE Magalhaes

    foram muito úteis seus esclarecimentos e orientações , sou enfermeira aposentada com curso de ingles e estou pensando em entrar nessa área de tradução com foco em artigos científicos relacionados a minha area de atuação para quem como eu é leigo no assunto,voce fez uma abordagem muito produtiva.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.